19.3 C
Pomerode
domingo, 29 de maio de 2022

Uma história muito além do jornal

Pesquisadores contam sobre as experiências ao longo de cinco anos de parceria com Testo Notícias

Era janeiro de 2017, as pesquisas até então desconhecidas de um grupo de amigos de Pomerode ganharam espaço e colorido para dar luz à história dos imigrantes que chegaram à região, trazendo aspectos da vida e cultura dos pomeranos. A primeira edição do projeto Pomeranos no Vale Europeu para o Testo Notícias estampou o caderno especial de aniversário do município, na época, era quinzenal.
Com o tempo, as pesquisas do grupo ganharam corpo, respeito e muitos admiradores. As importantes contribuições históricas e os verdadeiros achados passaram a ser muito especiais. Por isso, o espaço das colunas no jornal impresso precisou ser ampliado. A meia página, então, virou uma página inteira.
Mas as pesquisas avançaram e o material se tornou cada vez mais grandioso, com fotos, mapas e outros complementos. Foi em agosto de 2018 que a então coluna quinzenal, que ocupava apenas uma página do jornal, ganhou um novo formato e se transformou em um caderno mensal de oito páginas.
Artigo após artigo, curiosidade após curiosidade, o caderno se transformou numa significativa contribuição para a manutenção e o resgate da cultura pomerana, não apenas no Vale do Itajaí. Os pesquisadores ganharam notoriedade em estados como o Rio Grande do Sul e Espírito Santo, onde também estão localizados importantes núcleos de imigração Pomerana no Brasil. E o que falar dos artigos publicados fora do país?
O conteúdo, sempre inédito, ganhou fãs e colecionadores, que sempre aguardaram ansiosos para cada nova publicação. Um material rico que sempre foi muito admirado e querido por quem lê e uma parceria que é motivo de muito orgulho para a equipe do Testo Notícias.
Por isso, a despedida, com um gostinho de até breve, não poderia ser de outra forma senão com um caderno especial, no mês em que tudo começou…

Um agradecimento especial a todos que contaram essa história conosco


“Ao longo dos últimos cinco anos nós desbravamos algo um tanto esquecido em nossa Pomerode. Desde 2017, texto após texto, expomos histórias, costumes, legados e muita informação sobre a verdadeira identidade pomerodense.
Nesse trabalho voluntário que desenvolvemos, foram mais de 70 artigos que trouxeram nuances inéditas e nos fizeram mergulhar e viajar com os leitores. Inúmeras entrevistas e relatos trouxeram à tona as mais sinceras memórias afetivas. Livros, textos, canções e anedotas guardadas há décadas, tiveram seu pó retirado. Cada página explorada gerava uma nova página escrita.
Os descendentes pomeranos em território brasileiro nos ensinam que sempre é preciso e possível buscar melhores condições de vida, e que, sobrevive quem se adapta sem esquecer dos seus valores e das suas raízes. Nos sentimos privilegiados do contato e das conexões que foram realizadas, muitas portas abrimos para que novas perspectivas sobre a cultura pomerana possam surgir”, grupo Pomeranos no Vale Europeu.

Pomeranos no Vale Europeu: pesquisadores falam sobre a experiência de cinco anos compartilhando o legado pomerano com os leitores do Testo Notícias. Fotos: Laura Sfreddo

Uma despedida em busca de novos projetos

Edson Klemann agradece a todos que colaboraram com o grupo

“Eu quero agradecer, de uma forma toda especial, a todos que nos ajudaram nessa empreitada de cinco anos desde que iniciamos esse trabalho. Muitas vezes, sábados e domingos, marcando entrevistas com pessoas de diversos locais em Pomerode e outros municípios vizinhos.
Não tenho como citar nomes de todos que colaboraram, sou capaz de esquecer de alguém, pois foram muitos que auxiliaram de forma espontânea nessas pesquisas, que também foi um trabalho voluntário entre os quatro, Genemir Raduenz, Johan Strelow, Cláudio Werling e eu. Todos os meses, uníamos o material colhido e organizávamos cada quadro, para que tudo se encaixasse de forma harmoniosa e com conteúdos exclusivos. Todos que colaboraram foram de suma importância nesse trabalho.
Agradecer também ao Jornal Testo Notícias pelo espaço que cederam, em especial a jornalista Marta, que nos acompanhou desde o início. Começamos com meia página, depois uma página e depois migramos para um caderno mensal de oito páginas.
Aqui quero agradecer a todos os pomerodenses que contribuíram nessa caminhada. Temos outros projetos e, por isso, estamos nos despedindo esse mês com esse especial organizado pelo Testo Notícias.”

Quem é Edson Dimas Klemann?

Formado em Administração de Empresas, seu interesse a respeito da cultura e as pesquisas sobre o povo Pomerano surgiu quando um professor, no ensino fundamental, relatava sobre a história da imigração, sobre Pomerode e seus colonizadores. Mas sua curiosidade sobre o tema o fez querer saber mais…
Crescia a curiosidade sobre os imigrantes Pomeranos, como foi chegar até aqui e como foi difícil o início no Brasil, bem como, a luta desse povo até a formação da cidade de Pomerode. Tempo depois, Edson também iniciou as pesquisas genealógicas das famílias pomerodenses, isso fortaleceu seu interesse em descobrir a origem dos Pomeranos.
Edson participou do PommernBR em 2013 aqui na nossa cidade, o que ampliou mais ainda as pesquisas, recebendo o convite para integrar o grupo Pomeranos no Vale Europeu.

A pesquisa para reavivar o legado dos pomerano

Cláudio Werling reforça o agradecimento a todos que contribuíram com o projeto

“Meus agradecimentos num primeiro momento vão aos meus companheiros de jornada, do grupo de pesquisas Pomeranos no Vale Europeu com os quais eu tive o prazer e a grande oportunidade de participar desse projeto. Não poderia jamais esquecer dos meus pais e da minha esposa que estiveram desde o começo de nossas atividades ao meu lado, incentivando e, inclusive, participando ativamente de todo o processo envolvendo o caderno, como também em outras atividades culturais das quais o grupo participou como, por exemplo, as Rodas de Conversa em Pomerano/Platt.
Também não poderia esquecer dos nossos amigos do Museu Pomerano. Tivemos a oportunidade de desenvolver este trabalho numa condição voluntária e com o objetivo de realocar em seu lugar de destaque o imigrante POMERANO, por muito tempo e de certa forma esquecido entre as novas gerações. Reavivar nosso legado cultural, histórico e linguístico oriundo do povo Pomerano, que colonizou o Vale do Rio do Testo, juntamente com famílias vindas de outras regiões da antiga “Alemanha” e vizinhos, como Baden, Luxemburg, Schleswig-Holstein entre outras.
Nesta caminhada de vários anos de trabalho e de muita pesquisa foram surgindo cada vez mais amigos, apoiadores, colaboradores e entusiastas da cultura POMERANA. Não seria justo aqui esquecer de nenhum destes grandes amigos, que também de forma voluntária se dedicaram na realização dos mais de 70 artigos entregues à comunidade pomerodense.
Por isso, não me atreverei a citar os nomes, pois não quero esquecer de ninguém. Desta forma, muito obrigado a todos que nos ajudaram voluntariamente neste caminho! Herzlichen Dank an alle Menschen, die uns im Laufe der Jahre beim Machen des Heftes freiwillig geholfen haben! Danke schöön, for all dai Lüür, wat ous in all dai Jåhre fraiwillig mithulpe häwe!”

Quem é Cláudio Werling?

Professor de Língua Alemã, sempre se interessou pela cultura e idioma alemão, bem como, a língua e história da Pomerânia com ênfase no Platt. Para ele, é motivo de grande satisfação poder compartilhar informações sobre a vida e costumes de seus antepassados. Assim como a riqueza dos encontros do grupo Pomeranos no Vale Europeu que sempre são uma oportunidade de resgatar esses aspectos culturais.

Respeito a quem se dedica à manutenção da história

Johan Strelow fala acerca dos percursores das pesquisas sobre os pomeranos em Pomerode

“Agradeço à comunidade do vilarejo de Strachomino, localizado na cidade de Bedzino, na Polônia, que encaminhou diversas informações a respeito da história daquela região, e também pelo seu empenho em descobrir o paradeiro da Pedra Liekstein, um raro exemplar de pedra penitencial que estava localizada em Strachomino e havia desaparecido há quase cinco décadas.
Agradeço a todos que concederam seu tempo para a realização das entrevistas sem as quais não seria possível elaborar os quadros ‘uma família de origem pomerana’ e ‘um ilustre pomerodense’. Gratidão a minha família pelo apoio, em especial a minha esposa pela paciência sobre-humana com que suportou os vários dias dedicados à pesquisa para a elaboração dos artigos.
Agradecimento também aos membros da extinta Comissão Municipal de Cultura e da Fundação Cultural de Pomerode, que na década de 1980 iniciaram a pesquisa sobre a história da Pomerânia e do município de Pomerode. Graças ao trabalho destes baluartes temos hoje à disposição da comunidade os fascículos ‘Pomerode: sua História, sua Cultura, suas Tradições’, material este fundamental para a realização de nossas investigações.
Agradeço aos estudiosos da cultura pomerana oriundos dos estados do Espírito Santo e do Rio Grande do Sul pela preciosa troca de informações. Por fim, aos meus colegas do grupo Pomeranos no Vale Europeu, sem os quais este projeto jamais poderia ser concretizado. Gratidão por participar deste fantástico grupo de pesquisadores.”

Quem é Johan Ditmar Strelow?

Empresário, formado em Teologia pela Faculdade Luterana de Teologia (FLT), em São Bento do Sul. Em 2014 integrou um grupo de estudos dando origem ao Pomeranos no Vale Europeu. A motivação pelo estudo da cultura pomerana se deve à influência que recebeu de Lutero e Calvino.
Para os Reformadores, a cultura faz parte da revelação geral de Deus. Isto é, a cultura está no âmbito de uma revelação dada a todos os povos, sendo fundamental para a preservação e orientação da vida na terra.
Com isso, vários eventos culturais perderão sua função pedagógica (de transmitir a moral pomerana, por exemplo).

Na história, a busca pela conexão com o futuro

Genemir Raduenz comenta a importância das pesquisas sobre aspectos que conectam Pomerode com a Pomerânia

“Conectar Pomerode com a Pomerânia e com essa ancestralidade foi o desafio. A visão folclórica estereotipada que muitas vezes nos relaciona com o sul da Alemanha, também é a mesma que nos cega com uma cortina de senso comum equivocada. Calças a chapéus de couro, cheios de adereços, não são a genuína identidade de Pomerode.
Somos um povo com costumes e tradições muito mais específicas e ricas em detalhes, o povo Pomerano. Não reconhecer isso diminui a relevância do que aqui foi construído ao longo de mais de um século e meio. Acho que, com esses anos de trabalho, conseguimos dizer que há algo mais consistente por traz desta cortina de senso comum equivocada, e, o que está lá, representa nossa verdadeira história e o legítimo legado.
A história é muito além de falarmos do passado, é sobre o que somos capazes de fazer com o que sabemos. Quero muito agradecer minha esposa e filho que sempre me apoiaram e compreenderam a relevância desse trabalho voluntário, agradecer ao Testo Notícias por acreditar na importância do Caderno, aos colegas do Pomeranos no Vale Europeu pela parceria.
E ainda, enaltecer o imensurável número de pessoas que nos apoiaram e com as quais compartilhamos informações, sentimentos e muita reflexão.”

Quem é Genemir Raduenz?

Graduado em Economia e Mestre em Administração, a genealogia foi a porta de entrada para desencadear seu interesse pela história e cultura da Pomerânia. O intuito no início de 2010 era compreender a trajetória do imigrante Raduenz, ou seja, de que região da Europa Genemir era descendente.
Ao encontrar a origem da família se deparou com inúmeras outras informações, como mapas, registros religiosos, fotos antigas e contatos na Alemanha, que auxiliaram nessas descobertas. Da genealogia para a temática da Pomerânia foi uma questão de tempo.
Começaram então trocas de informações com colegas que tinham o mesmo interesse aqui no Vale. Assim, em 2014, iniciaram as conversas para a criação do grupo que foi o embrião do Pomeranos no Vale Europeu, que por sua vez, visa a compreensão, o resgate e o reestabelecimento da memória histórica/cultural dos pomeranos e a interface da Pomerânia com a cidade de Pomerode.

Receba notícias direto no seu celular, através dos nossos grupos. Escolha a sua opção:

WhatsApp

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas notícias